Douglas Wires, nasceu em 1971, é casado e mora atualmente no Rio de Janeiro, atuando no mercado de turismo desde 1995. Fluente em inglês, é emissor Amadeus e Sabre de passagens aéreas nacionais e internacionais. Trabalhou em empresas como: VARIG, OCEANAIR e CARLSON WAGONLIT, adquirindo sólidos conhecimentos e experiência em cálculos de tarifas aéreas, supervisão de reservas e negociação de serviços de viagens.

COMBATENDO A GANÂNCIA DENTRO DE UMA AGÊNCIA DE VIAGENS

Uma das coisas que você precisa aprender no turismo ou em qualquer outro ambiente corporativo onde há premiações e comissão para vendedores, é manter-se calado quanto aos prêmios que ganha pois a vontade de comemorar com os colegas e a vaidade podem acabar se tornando um problema nas vendas futuras. E foi isso que aconteceu comigo na agência onde trabalhava.

Tudo começou quando fui transferido para um posto que faz muitas reservas de quartos no hotel Comfort Campos. Esse hotel premia com Dotz as reservas feitas em qualquer hotel da Rede Atlântica. A quantidade era tanta, que ao fim de 5 meses eu troquei os pontos acumulados por uma geladeira GE cujo valor no mercado era de R$ 2.300. A alegria foi tanta que compartilhei a foto dela por email com o título: "COMPREI COM DOTZ"



Minha intenção não era zoar os meus colegas, mas motivá-los a fazer bloqueios no hotel Comfort Campos para eles garantirem vagas aos funcionários da conta que atendíamos. Porém, isso implicaria em pagar NOSHOW caso quem fizesse esquecesse de cancelar o bloqueio do quarto que não foi ocupado e o medo de ser descontado no salário para ressarcir a agência do NOSHOW cobrado foi maior do que a segurança das suas capacidades profissionais. Foi aí que percebi o que faz poucas pessoas serem melhores vendedores e atingir o sucesso e as metas mais rápido do que outras.

Mal sabia eu, que de longe meu supervisor estava urubuzando a renda extra do posto. Ele queria tirar proveito de alguma forma dos pontos que acumulávamos no programa DOTZ. Foi então, numa reunião, que o supervisor da agência nos "coagiu" para inserirmos nas reservas de hotéis da Rede Atlântica o CPF dele junto com o nosso, alegando que dessa forma todos ganhariam: o agente de viagem que fez a reserva e ele como supervisor do posto. É óbvio que ninguém discutiu nem se recusou. Alguns fizeram ouvido de mercador, outros de melhor amigo dele concordando de imediato, enquanto eu tive que encenar que estava do seu lado... Mas o que eu queria mesmo era ganhar tempo!


Após o fim da reunião, de imediato consultei o programa de recompensas para agências de viagens no portal da Rede Atlântica e o regulamento do programa DOTZ, e comprovei que só é permitido informar outro CPF de outro participante se esse for o gestor da conta ou a secretária e que portanto caracterizava-se em fraude o que o meu supervisor estava nos pedindo, pois era como a pontuação fosse dividida para dois agentes de viagens! Pior ainda... Eu poderia entrar de bobo nessa estória e perder o meu cadastro no DOTZ por está fazendo uma fraude!!!
https://www.dotz.com.br/ajuda/compromisso.aspx

Mas quem iria argumentar isso contra o supervisor da agência e correr o risco de ser demitido ou remanejado para uma outra conta que não tem um movimento tão grande de reserva de hotéis da Rede Atlântica?

Eu precisava pensar em algo que pudesse enganá-lo sem ele perceber, pois não achava justo compactuar com uma fraude e ainda ter que dividir os pontos acumulados com ele, uma vez que teria que inserir o CPF dele junto com o meu nas reservas de bloqueio que tinha. Minha fúria estava começando a subir dia após dia... Principalmente quando imaginava que o "espertalhão" iria ganhar DOTZ sem esforço algum enquanto eu e meus colegas corríamos sempre os riscos de pagar NOSHOW caso não prestássemos atenção na data correta da reserva solicitada pelo cliente.

Veio-me então uma idéia: fazer reservas falsas no Sabre e informar a ele o código de confirmação para ele cadastrar no DOTZ. Mas isso tinha um impasse: a reserva precisaria ser cancelada 2 dias antes da data do checkin, caso contrário, geraria NOSHOW e eu teria que pagar devido o hóspede não ter comparecido ao hotel, e ele ainda poderia me questionar porque eu o enviei um código de confirmação de reserva se a mesma estava cancelada. Se isso fosse descoberto, meu plano não surtiria efeito. Então, veio a minha mente o plano perfeito para enganar o "olho grande" do meu adversário.

Ao invés de fazer a reserva online no Sabre, eu simularia uma reserva manual diretamente com o hotel. Para isso, eu utilizaria a ferramenta online PDFescape para editar um voucher em PDF de confirmação de hospedagem com data passada no Comfort Campos, adulterando o código de confirmação da reserva e alterando a data do checkin, do checkout e o nome do hóspede. Dessa forma, eu não precisaria me preocupar com o NOSHOW, pois as reservas falsas encaminhadas em anexo para ele nunca existiriam e os pontos acumulados no programa DOTZ do meu supervisor seriam então oriundos dos "puxa-sacos" que passaram a dividir a pontuação de suas reservas com ele.



Meu plano ficou em segredo por bastante tempo. O espertalhão agradecia os meus emails com a série de reservas adulteradas em anexo que eu os enviava dia sim e dia não, pensando que estava tendo vantagens por ganhar pontos de graça nas minhas costas sem sequer fazer uma reserva de hotel na Rede Atlântica. O engodo garantiu minha permanência no posto até o dia em que a agência perdeu de vez a conta e a galinha dos ovos de ouro se foi.

Postar um comentário

CADASTRE SEU EMAIL E SEJA AVISADO SOBRE NOVAS POSTAGENS 

ÍNDICE DO BLOG